O meu eu
<DIARIOS>

segunda-feira, junho 02, 2003


Tenho varias coisas para falar, mas antes disso vou começar por pedir desculpas por nao usar acentos, porque parece que estes
nao estao a funcionar.
Vou comecar por falar do Andre.
O Andre parece eu com mais 15 anos, uma excelente pessoa, uma pessoa que adora comunicar. Que confia nas pessoas, mesmo
que isso signifique que se esteja sujeito a levar patadas.
Irei continuar isto mais tarde .


segunda-feira, abril 28, 2003


Existem certas coisas que eu realmente odeio em mim.
Uma delas passarei a descrever.
Parece que tenho um estranho condão de magoar as pessoas de quem realmente gosto, acontece-me sistemáticamente isto.
Já trocidei os meus pais a minha ex namorada, várias amigas, vários amigos, sem parecer que vou finalmente aprender.
Talvez seja mais facil magoar os amigos, pois sabe-se que á partida eles devem perdoar. Como se eu tivesse o direito de esperar
que os meus amigos aceitem de animo leve tudo o que lhes faço...


Por vezes surgem situações como a deste meu interesse na tal rapariga...Situações em que existe aparentemente mais que uma
pessoa interessada, mas raras são aquelas em que dois amigos são confrontados com esta situação.
Foi o que sucedeu no sábado passado, só por saber que o meu amigo tinha saido com a tal rapariga reagi mal, e reagi de uma forma cruel, como uma criança. E sinceramente prefiro abdicar de a mera possibilidade de um namoro do que de um amigo.
E ele é meu amigo e eu sei disso, fui demasiado estupido a reagir do modo como reagi,não quero matrerizar-me nem insultar-me mais por isso os meus insultos a mim mesmo ficam por aqui. Quanto á tal rapariga... bem se por acaso ela não resistir a este charme que eu sou em pessoa, bem ai irei consultar o meu amigo. Porque a partir deste preciso momento(correndo o risco de parecer falso), até preferia que ele conseguisse ficar com a tal rapariga em vez de mim. Porque se existem 7 mulheres e meia para um homem então mulheres preparem-se por eu estou de volta.
As minhas sinceras desculpas, rapaz pois eu sei que vais ler isto apesar do que eu escrevi anteriormente não foi escrito para ficar bem. Acho que já me conheces o suficiente para saberes que eu digo e faço o que sinto.Quanto a ela FORÇA RAPAZ !!!


domingo, abril 27, 2003


Eis-me de novo pre disposto a despir a minha alma para quem quiser ler.

Ás vezes penso que me apaixono rapidamente,mas sinceramente creio que isso não é inteiramente verdade.
O que é verdade é que este mundo está repleto de pessoas verdadeiramente apaixonantes, e que eu me apercebo muito
facilmente das suas potencialidades.
Foi o que aconteceu nestes dias, surgiu outra pessoa no meu deserto interpessoal, outra pessoa que me fez sonhar.
E que tive invariavelmente de comparar com a Catarina, mas que cedo descobri que essa comparação seria um erro.
Por isso, observei-a durante estes dias e dei por mim a pensar nela quando menos esperava. Um misto de atracção com o medo
de me apaixonar, pois sei que por norma fico sempre bastante magoado.
Mas como aqueles que não arriscam jamais serão contemplados com a magia do amor, espero em breve confessar o que sinto.
Esta pessoa é no minimo caricato, pois apesar de haver certas coisas em que não há click existem outras como o seu olhar que me desarmam por inteiro, deixando-me sem defesas. Chego a pensar que isto é mero acaso de o meu corpo estar embebido em alcool, mas curiosamente faço mais click com ela quando estou sóbrio. Estou para aqui a divagar levando a entender que foram muitas as ocasiões que estive com ela. Mas é completamente falso, pois ainda não tive a oportunidade de estar com ela a sós, de tentar saber mais coisas dela.Talvez por um certo receio de as minhas palavras se demonstrarem demasiado reveladoras e ou de me afundar mais no seu olhar sabendo que provavelmente irei "morrer" afogado.
Só sei que aquilo que eu sei é-me suficiente, pois uma vez mais o seu olhar tudo diz.
Por isso na bruma da noite vou lançando uivos mudos á lua, chamando secretamente o seu nome, desejando-a.
O meu espirito encontra-se numa terrivel batalha, para tentar não me deixar apaixonar mais, mas a força do amor é demasiada grande para que possa tentar dete-la. Por isso vou largar os meus baluartes e preparar-me para navegar ao seu sabor.
Não sei o que se irá passar, só sei que irá ser uma fantástica viagem.

Até um dia destes.


terça-feira, março 18, 2003


Todos nós usamos máscaras diáriamente, estamos habituados a viver com ela só conseguimos respirar com ela.
O pior é quando a máscara cai e encaramos o nosso eu, não sei se o meu eu é aquele rapaz que gosta de falar com os amigos, sair, fazer tudo o que uma dita pessoa normal faz ou se é como me sinto neste preciso momento. Só.
É estranho mas nestes dias a merda da Catarina vêem-me á cabeça, já não se trata dela mesmo, mas sim de tudo o que eu já tive e de o que perdi. A solidão é o pior estado de um ser humano é meio caminho andado para os pensamentos auto-destrutivos, ficamos incrivelmente egoistas, crueis, e ao mesmo tempo frágeis.


quarta-feira, março 05, 2003


Vindo do nada surgiu uma pessoa que me faz sonhar acordado, que me poem a sorrir. Talvez esteja enamorado, mas sei que á partida este sentimento é errado pois a pessoa em questão não pode se envolver comigo, e sinceramente ela merece toda a felicidade do mundo e duvido que eu a consiga dar.
Por outro lado, existe há mais de um ano outra pessoa que me poderia dar tudo aquilo que eu quero, eu o meu eu racional.Porque o meu eu irracional continua a sonhar com o velho e tórrido romance de conhecer alguém, casar, ter filhos e viver felizes para sempre.
Mas falemos desta pessoa a Joana, ela mora relativamente perto de mim e conhecemo-nos através de uma amiga em comum.
Começou a ficar extremamente bonita para mim quando a comecei a conhecer melhor, tem bastante cultura, gosta de se divertir estando com os amigos dela (que por acaso a maioria deles também são meus conhecidos). Têm alguma experiencia em drogas (nada de drogas pesadas, senão o brilho extinguia-se), por isso dá para eu fumar ao pé dela na boa, é bonita tem certos traços de Catarina. E não está interessada em nada muito sério, apenas alguém que esteja lá para ela quando ela precisar de trocar umas carícias.E isto para mim basta-me, sinceramente apetece-me usar alguém e ser usado também, poder estar a embebedar-me com os meus amigos e saber que ela está a fazer o mesmo mas longe.
Quanto á outra pessoa...bem ela é daquele género de pessoas que o meu eu racional não se importaria nada de ficar com ela, e que ao mesmo tempo receia que ela possa a vir a ser mais um sofrimento.


Já estou para escrever isto á imenso tempo

Para a Catarina.

"Existe um lugar entre o sonho e a realidade, é lá que eu esperarei por ti e onde te irei amar para sempre."
Do filme Peter Pan.

Por vezes tenho destas coisas, ponho-me a pensar e o meu pensamento incide quase que invariavelmente sobre ti.
Os "ses" invadem-me, se eu tivesse feito isto, ou se eu não tivesse feito aquilo, talvez ainda namorassemos...talvez...
Pode parecer um pouco estranho, mas a unica coisa que lamento foi a dor que te causei, tudo o resto é motivo de orgulho.
Até mesmo a minha queda para depois me reinventar. Segundo aquele livro que me deste (e depois acabaste por ficar tu com ele)
a coisa mais bela na vida é ver a evoluição de um ser humano.E eu habituei-me a só evoluir para demonstrar aos outros, a ti, e esqueci-me da pessoa mais importante da minha vida, Eu. Por isso mesmo optei por evoluir para mim mesmo e se houver alguém que queira assistir á minha evoluição optimo, senão, azar!!!
O meu eu de hoje é mais forte do que fora anteriormente, as pessoas que conheci, os locais que vi enriqueceram-me, encheram-me de conhecimentos, de experiências, sonhos, receios e aromas.
Tenho tentado em vão esquecer-te, mas consegui fazer alguns progressos por isso perdoa-me Catarina mas vou ter de te "matar" da minha mente, dar espaço a outras pessoas criar vontade para tentar seduzir outras pessoas, voltar a ser a estrela luminosa de mais alguém. Parece que afinal não vais lavar a minha dentadura como inumeras vezes replicamos um ao outro.
Amo-te não te esqueças que eu nunca me irei esquecer de ti na totalidade, porque afinal é verdade nunca se esquece o primeiro amor.


segunda-feira, fevereiro 24, 2003


Hoje venho apenas trazer-vos um poema de Dylan Thomas, espero que gostem:
E a Morte Perderá o seu Domínio



E a morte perderá o seu domínio.

Nus, os homens mortos irão confundir-se

com o homem no vento e na lua do poente;

quando, descarnados e limpos, desaparecerem os ossos

hão-de nos seus braços e pés brilhar as estrelas.

Mesmo que se tornem loucos permanecerá o espírito lúcido;

mesmo que sejam submersos pelo mar, eles hão-de ressurgir;

mesmo que os amantes se percam, continuará o amor;

e a morte perderá o seu domínio.



E a morte perderá o seu domínio.

Aqueles que há muito repousam sobre as ondas do mar

não morrerão com a chegada do vento;

ainda que, na roda da tortura, comecem

os tendões a ceder, jamais se partirão;

entre as suas mãos será destruída a fé

e, como unicórnios, virá atravessá-los o sofrimento;

embora sejam divididos eles manterão a sua unidade;

e a morte perderá o seu domínio.



E a morte perderá o seu domínio.

Não hão-de gritar mais as gaivotas aos seus ouvidos

nem as vagas romper tumultuosamente nas praias;

onde se abriu uma flor não poderá nenhuma flor

erguer a sua corda em direcção à força das chuvas;

ainda que estejam mortas e loucas, hão-de descer

como pregos as suas cabeças pelas margaridas;

é no sol que irrompem até que o sol se extinga,

e a morte perderá o seu domínio.


domingo, fevereiro 23, 2003


Uma vez mais estive bastante tempo sem escrever.
Tenho perdido algum tempo a ler, e a re-descobrir o mundo que outrora amaldiçoei.
Descobri gente nova, pessoas que me aceitaram sem receios e sem pedir nada em troca.
Vi-me novamente rodeado de pessoas de ambientes ruidosos, fugindo assim á rotina diária de eu o meu quarto, trabalho e computador. Fiz uma nova amizade e desta forma um amigo (é estranho poder considera-lo já amigo, por norma isso levava meses).
Ainda não falamos de coisas tristes, daqueles eternos desabafos que tenho com os pouco que chamo amigos, mas é curioso que sinto que lhe poderia contar isso tudo. É estranho poder confiar numa pessoa sobre a qual á pouco tempo se desconhecia a sua existência, mas ao mesmo tempo é mágico e preenche-me de esperança e de vida.
Creio finalmente ter encontrado o meu grupinho um grupo de pessoas que gosta de sair, beber uns copos fumar umas, rir, no fundo ser feliz. Curioso creio que neste momento graças a estas novas amizades posso considerar que sou feliz, falta-me apenas mais uma coisa para ser totalmente feliz mas o que tenho agora é me suficiente, e afinal não necessito assim de tantas coisas.
A vida é sem dúvida uma estrada sinuosa, mas se existirem pessoas que nos acompanhem nessa estrada o caminho torna-se mais tragável e parece que finalmente encontrei essas pessoas.


Home